Rick Riordan - O Trono de Fogo

O Trono de FogoEditora: Intrínseca
Nº de Páginas: 398
Ano: 2011
Avaliação: 
Skoob
Os deuses do Egito Antigo foram libertados, e desde então Carter Kane e sua irmã, Sadie, vivem mergulhados em problemas. Descendentes da Casa da Vida, ordem secreta que remonta à época dos faraós, os dois têm poderes especiais, mas ainda não os dominam por completo – refugiados na Casa do Brooklin, local de aprendizado para novos magos, eles correm contra o tempo. Seu inimigo mais ameaçador, Apófis, está se erguendo, e em poucos dias o mundo terá um final trágico. Para terem alguma chance de derrotar as forças do caos, precisarão da ajuda de Rá, o deus sol. Despertá-lo não será fácil: nenhum mago jamais conseguiu. Carter e Sadie terão de rodar o mundo em busca das três partes do Livro de Rá, para só então começarem a decifrar seus encantamentos. E, é claro, ninguém faz ideia de onde está o deus.


Do mesmo autor das séries baseadas livremente na mitologia greco-romana, Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo, Rick Riordan, As Crônicas dos Kane, trilogia que já possui dois volumes publicados (A Pirâmide Vermelha e O Trono de Fogo), narra a história de Carter e Sadie Kane, dois irmãos magos que, após despertarem antigos deuses egípcios num museu de Londres, embarcam numa perigosa aventura ao redor do mundo enfrentando perigos como monstros do Egito Antigo, feiticeiros que se corromperam para o mal e deuses vingativos, além de descobrirem uma antiga ordem faraônica, responsável por manter a ordem entre os mundos mortal e imortal, da qual os mesmos fazem parte, chamada A Casa da Vida. E, depois de tantos desafios e de derrotar Set, o Deus Vermelho, na Pirâmide Vermelha, Carter e Sadie meio que precisam de um descanso, não? Bem, não é isso que eles conseguem. Porque Set se mostra, no segundo livro, o menor de seus problemas: a Serpente Apófis, também conhecida como o Caos encarnado, está ressurgindo de seu abismo, e promete engolir o Sol e mergulhar o mundo na escuridão eterna. O único que pode impedir o feito é Rá, o Deus Sol, arqui-inimigo de Apófis, e que está desaparecido há mais de milênios. A nova missão é: encontrar as três partes do Livro de Rá, e recitar um encanto capaz de despertá-lo, antes que o próprio Apófis se levante. E isso numa mortal jornada pelos continentes, já que A Casa da Vida pensa que os irmãos são inimigos aliados do Caos, e sem quaisquer chances de realizar um feito que nenhum mago em toda a história conseguiu: despertar Rá. E tudo isso em três dias. Como diria a Sadie, outra típica semana para a família Kane, certo? Hehe...
O Trono de Fogo é tudo aquilo que conhecemos nos livros de Riordan: personagens cômicos, situações que, mesmo se fossem reais se mostrassem apavorantes, são satirizadas pelas escritas do autor, e uma penca de novos e únicos personagens, como o Bes, que é responsável por maior parte das minhas gargalhadas com o livro. Mesmo com tudo isso de volta - os capítulos com nomes esquisitos (quem lê os livros dele sabe do que estou falando), as piadas aleatórias sobre mitologia e a ação a todo tempo - não consegui gostar tanto de O Trono de Fogo quando d'A Pirâmide Vermelha. Continua sendo uma ótima leitura, mas aqui vai uma lista das coisas que eu não engoli: o mundo acabaria em três dias, e, mesmo sabendo disso, a Sadie, no início do livro, faz uma birra danada para celebrar seu aniversário em Londres com as amigas! Tipo, acorda garota! Eu quis sacudi-la e dar-lhe um tapa na cara! Digo, o mundo acabaria em três dias, e, se fosse eu no lugar dela e estivesse encarregado de impedir isto, estaria me descabelando e nem dormindo! E ela preocupada com festas?? Não engoli essa não! Outro detalhe, e que já noto bastante nas escritas de Riordan: crianças novatas no que fazem (aqui magia), e que são capazes de vencer, num número de 12, um exército de magos maus e bem treinados com grande facilidade! Sinceramente, isso ficou meio forçado, né? Garotos de 9 a 13 lutando contra vilões quase imortais e vencendo, sem sofrerem quaisquer danos!? Poderia citar outras tantas falhas, mas vocês já podem imaginar quais seriam, neste mesmo estilo. Fora isso, O Trono de Fogo pode arrancar-lhe muitas risadas, como disse anteriormente! Como quando Rá ressuscita, e o estado comicamente crônico no qual ele retorna (juro, chorei rios de lágrimas de tanto rir!), e claro, a Sadie (minha personagem preferida), com todo o seu humor de garota inconformada com a vida e Bes, o deus anão de sunga (leiam para entender, kk!!).
E a Sadie, apesar da raiva que senti dela no começo com a coisa toda da festa, só me fez gostar dela ainda mais!! Eu não precisava dizer isso (me forçei a cortar na resenha original, que ficou GIGANTESCA, acho que a maior que já fiz), mas depois coloquei de volta!! A Sadie é fã da Adele, e, num momento do livro, ela estava ouvindo o álbum 19, ao mesmo tempo que eu!! Louco, não?
Novamente, tirando os absurdos típicos de Riordan, foram essas coincidências, gargalhadas e a ação a todo tempo (sério mesmo), que me fizeram adorar O Trono de Fogo! Ainda prefiro o primeiro, mas este não perde o compasso em nenhuma página!

6 comentários:

Marina Carvalho disse...

Sua resenha e seu blog estão excelentes!
Parabéns...

VDC disse...

:D thank u!!

arquivopassional.com disse...

Ainda não li nenhum livro do Rick Riordan, mas fiquei curiosa pois sua resenha está ótima!
Dá pra ler "As Crônicas dos Kane" sem ter lido "Percy Jackson e os Olimpianos" e "Os Heróis do Olimpo"?
Não deixe de participar da promoção "Apelo Passional" no meu blog...
Bjs...Elis Culceag.

VDC disse...

Pode ler sem hesitar, Elis! Esta série é completamente distinta das outras, e tenho plena certeza de que você irá adorar!! Participando da promoção, viu? Não deixe de participar da minha também!! Beijo...

Marina Carvalho disse...

Vc não tem Facebook, garoto americanizado? rsrsrs

VDC disse...

Marina, ter até tenho!! Mas é inutilizado. Sinceramente, não vejo a graça ou utilidade daquilo, rsrs... Beijos, VDC